Escolhi o curso errado

///Escolhi o curso errado

6167475

Por: Deise Navarro

Essa frase já passou pela sua cabeça?

Infelizmente é bem comum encontrar pessoas que ao escolherem um curso superior sem uma investigação mais aprofundada sobre a grade curricular e/ou prática ocupacional, acabem se sentindo bastante frustradas durante a faculdade.
Se você tem se sentido desiludido em relação à sua escolha universitária e algumas vezes chega a duvidar de sua capacidade de escolha ou não consegue enxergar um futuro muito feliz, acalme-se, você não está sozinho nisso! Muito mais gente do que possa imaginar se depara com tais dúvidas.
Além disso, a busca por respostas pode ser algo muito positivo diante de uma situação tão angustiante como essa. Embora a maioria das pessoas nem sempre se permita fazer um questionamento a este respeito e acabe trabalhando a vida inteira numa profissão que não lhes traz realização pessoal, nunca é tarde para começar a pensar de forma mais investigativa a respeito.
Antes de decidir se desistir do seu curso
é realmente a melhor opção, que tal tentar uma atividade reflexiva?
1. Pesquise as matérias dos próximos semestres do seu curso e veja se seu interesse por ele se mantém, aumenta ou diminui.
2. Avalie sua dedicação na elaboração dos trabalhos e intensidade de estudo para provas. Pense: “Será que é comum as pessoas se dedicarem tanto quanto eu para fazer isso?”, “Qual o grau de exigência dos diferentes professores?”, ” Tenho mais amigos apresentando as mesmas dificuldades que eu em determinadas matérias?”, “Conheço alguém que poderia me ajudar na elaboração destes trabalhos e no estudo de algumas matérias que considero mais difíceis?”, “Será que as dificuldades que encontro em determinada(s) matéria(s) coloca(m) em dúvida capacidades minhas que antes eu considerava boas e, por isso, me sinto frustrado com meu desempenho?”, “Existem temas que me interessam na grade atual de disciplinas?”, “Há uma área específica que eu queira atuar dentro da profissão que eu escolhi a qual eu possa focar durante o curso?”.
3. Considere como está sua vida hoje: Há alguma questão ou situação difícil que você esteja enfrentando que não necessariamente tenha a ver com seu curso? Você tem se sentindo triste ou sozinho? Você está tendo que lidar com alguma situação familiar ou pessoal que demande muita dedicação e esforço e se sente cansado ou esgotado por isso?
4. Pense no futuro. Pergunte-se: Será que não vale a pena eu terminar meu curso e entrar numa Pós-Graduação de um tema que me agrade? Será que esta decisão seria o equivalente a começar outro curso no que se refere à dedicação de tempo? Ou não, realmente não vou aguentar até o final!
5. Como seria iniciar outro curso e o quanto isto interferiria em seus planos futuros?
6. Reflita também sobre o fato de que toda escolha tem os dois lados. pergunte-se: “Será que dá para encontrar um curso que me satisfaça completamente e não me frustre em disciplina nenhuma?” “Qual é meu grau de satisfação em relação às demais matérias do curso?”, considerando as que já fez e as que fará.

Caso você não encontre uma saída que te permita dar continuidade a seu curso, comece a pesquisar outras opções de curso universitário, tendo como critério algo que se encaixe em seu projeto de vida, avaliando afinidade, tempo de curso, universidade, grade curricular, mercado de trabalho, além de qualquer outro critério que para você seja importante.

Um bom serviço de Orientação Profissional para ajudá-lo neste processo, permite uma análise e/ou um planejamento de futuro mais aprofundados.

Deise Navarro é Psicóloga. Orientadora Profissional e de Carreira pela USP.
2018-04-17T12:35:35+00:00 By |Categories: Escolha Profissional|
%d blogueiros gostam disto: