MBTI, Dinâmica dos Tipos Psicológicos

//, Carreira Profissional, MBTI/MBTI, Dinâmica dos Tipos Psicológicos

Dinâmica tipos mbti

 Por: Deise Navarro

Se o primeiro contato de alguém com o MBTI acontecer unicamente por meio das siglas dos tipos psicológicos é improvável que essa pessoa entenda o que cada conjunto de quatro letras representa. Também não é difícil encontrar pessoas que responderam ao MBTI, receberam o relatório do seu tipo e possivelmente uma devolutiva a respeito do resultado, mas que permanecem com muitas dúvidas. O que é lamentável, mas ao mesmo tempo compreensível, dada a riqueza de informações que pode ficar de fora da explicação.

Mais do que entender o significado de cada letra é importante compreender a dinâmica de seu tipo psicológico, pois só assim você poderá usufruir do profundo de autoconhecimento disponibilizado por essa ferramenta.

Sobre a Teoria dos Tipos Psicológicos

É importante lembrar que o MBTI tem por objetivo identificar onde as pessoas preferem concentrar sua atenção, como preferem processar informações, com base em que preferem tomar decisões e qual é o estilo de vida preferido delas. Veja:

1) Foco de Energia(E) Extroversão: quando o foco é no mundo externo e você se motiva por meio da interação com outras pessoas ou (I) Introversão: quando o foco está no mundo interior e você se motiva por meio da reflexão.

2) Funções Psíquicas de Percepção – dizem respeito à forma como coletamos e processamos informações – através da (S) Sensação: quando utilizamos preferencialmente os cinco sentidos ou da (N) Intuição, quando utilizamos o “sexto sentido” para captar e processar informações.

3) Funções Psíquicas de Julgamento – identificam a forma como tomamos decisão – com base no (T)* Pensamento: realizando uma análise lógica da situação ou no (F)* Sentimento: considerando valores pessoais e coletivos, bem como o impacto de suas decisões sobre as pessoas.

4) Estilo de Vida – determina qual é a função dominante do seu tipo psicológico e seu estilo de vida preferido, identificado pelo (J) Julgamento: que simboliza um estilo de vida mais regrado e organizado ou pelo (P) Percepção: um estilo de vida mais flexível.

As combinações entre essas oito dicotomias dão origem a 16 tipos psicológicos.

Cada tipo psicológico será representado por quatro letras da escala acima (E ou I; S ou N; T ou F; J ou P), simbolizando preferências opostas.

As duas letras centrais simbolizam as funções psíquicas preferidas pelo Tipo (S/N e T/F) e dirão qual preferência é Dominante e qual é a Auxiliar, respectivamente onde investiremos 50% e 30% do nosso tempo e energia para fazer escolhas e atuar no mundo. Embora na representação do tipo tenhamos apenas duas funções psíquicas (letras centrais), por exemplo ESTJ, as demais funções (no caso do exemplo NF) também atuaram de forma dinâmica em cada perfil. Elas representam as funções Terciária, na qual investimos 15% de tempo e energia e Inferior, cujo investimento representa apenas 5% de tempo e energia. Ou seja, cada tipo psicológico contém as quatro funções psíquicas (S-N e F-T), porém com pesos distintos

As funções Terciária e Inferior são funções menos desenvolvidas, sendo a Terciária o oposto da função Auxiliar e a Inferior oposta à Dominante. Por exemplo, se a função Dominante é sentimento, a função Inferior será pensamento.

A determinação do tipo psicológico é feita pela composição das duas funções mais desenvolvidas – Dominante e a Auxiliar. Se a função Dominante for uma função de “percepção” (S ou N), a função Auxiliar será de julgamento (T ou F) e vice-versa.

Essa explicação permitiria uma compreensão sobre como nos sentimos e nos relacionamos não fosse o fato de a função Inferior se destacar por provocar sensações marcantes quando aparece, já que atua quando estamos estressados ou cansados. Nessas situações, é comum agirmos de forma irreconhecível, quase despersonalizada, causando danos, por vezes irreparáveis em relacionamentos ou situações. Segundo Jung, a função Inferior representa a “sombra”, nosso lado não desenvolvido e mais suscetível às fantasias inconscientes.

 Consciência é o que todo ser humano deveria ter de melhor, pois é a partir daí que seu caráter inspirará a formação de outras virtudes.
 Ivan Teorilang

 

Deise Navarro, Psicóloga. Orientadora Profissional e de Carreira pela USP, com certificação em MBTI.

*T – Thinking e *F – Feeling

2018-02-13T18:03:18+00:00 By |Categories: Auto conhecimento, Carreira Profissional, MBTI|
%d blogueiros gostam disto: